Destaques
Jewellery 2020: The Global Shift

A Jewellery 2020: The Global Shift visa reforçar a capacitação da ourivesaria portuguesa na sua internacionalização e no acesso ao mercado global, e tem como objetivos gerais robustecer a marca internacional da ourivesaria portuguesa a nível global, alargar a base geográfica dos intercâmbios comerciais, dotar o setor de uma maior capacidade exportadora e incentivar a participação em dinâmicas de competitividade e internacionalização.

O projeto constitui uma ferramenta para responder a um dos maiores desafios atuais da ourivesaria, a necessidade de estender os limites, ultrapassar as fronteiras tradicionais do setor para usufruir do crescimento que se verifica a nível global.

A ourivesaria está a viver uma evolução rápida, com a assimilação à moda, na fertilização com a tecnologia e as suas práticas. Resulta disto a necessidade de capacitar o setor e os seus agentes para acompanhar este processo, continuando no processo de alinhamento para esta configuração. Por isso, este projeto consiste no acompanhamento e deteção da inovação e na aplicação prática na reinvenção da marca internacional, na produção de instrumentos de promoção e publicidade adequados e na prospeção e estudo dos novos mercados, consumidores, práticas e configurações.

O projeto, promovido pela AORP - Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal, é composto por três atividades.

A primeira, nomeada The Markets Factory, desenvolve-se a partir de uma abordagem prospetiva e tem como objetivo preparar o caminho para alargar as fronteiras comerciais. É composto por medidas de prospeção e inteligência em 6 países, e outras tantas destinadas a reforçar a rede colaborativa interna e externa entre empresas aderentes, profissionais e especialistas com acesso à qualificação para a mudança numa perspetiva global.

Escolheram-se como mercados de referência, o Canadá e a Austrália, aproveitando a experiência anterior de algumas empresas. Para além destes, também a Holanda e os países nórdicos, tomando como base a Dinamarca e a Suécia, ainda pouco explorados e que apresentam alguma estabilidade económica. Inclui-se ainda outros espaços de interesse de forma a permitir a diversificação e desconcentração geográfica, como a Singapura e Omã. Trata-se de mercados que estão a mostrar boas performances setoriais e abertura internacional, para além de demonstrarem ser economias emergentes com estabilidade económica.

A segunda atividade, The Trends Factory, enquadra-se na categoria da prospeção e acesso a certames dedicados à promoção comercial e artística da ourivesaria de autor ou contemporânea. Mas, vai mais além na sua abordagem com eventos catalisadores de inovação e de novas práticas para o setor. Estes concentram a atenção dos principais players do setor, desde marcas internacionais até agentes comerciais.

Escolheram-se quatro certames de referência globais organizados na Europa: o Show SCHMUCK, organizado em Munique durante a Semana da Joalharia de Munique; a Collect, organizada em Londres com a parceria da influente galeria Saatchi;  a AUTOR Contemporary Jewelry Fair, organizada em Bucareste e a SIERAAD International Jewellery Art Fair organizada em Amsterdão. As atividades previstas abrangem a prospeção e o estudo de acesso aos eventos, mas aprofundam o conhecimento e a intervenção uma vez que permitirão identificar tendências e novas vias de desenvolvimento.

A terceira atividade, The Global Promotion Factory, pretende desenvolver ações e metodologias eficazes de marketing internacional e de comunicação institucional que permitam aumentar a visibilidade da marca Portuguese Jewellery. A marca da ourivesaria portuguesa no internacional é tratada sob a lente da “reinvenção”. É um processo natural iniciado desde o primeiro minuto do lançamento da marca. Agora com a tipologia de ações proposta, o caminho é para ajustar a marca na dimensão que a ourivesaria portuguesa tem alcançado nos últimos anos.

Três tipologias de ações integram esta atividade destinada a interagir com o mercado através da promoção qualificada. A primeira toma a forma de um programa de vídeos customizados com vocação online para promover a ourivesaria e o contexto onde se desenvolve o setor, a segunda é uma campanha na revista VO+Magazine publicada sob a chancela da prestigiosa marca Vicenza Oro, um dos principais players globais e a terceira responde a organização de dois eventos de formato inovador e muito alinhados com o mainstreaming do mundo da moda, denominados genericamente Trunk Shows, organizados na cidade do Porto.

As três ações vão explorar uma lógica coletiva de disseminação da fileira, da marca e da oferta de produtos/serviços de qualidade, assim como explorar a sinergia entre a fileira e o país e território.

Para Fátima Santos, Secretária Geral da AORP:

"O apoio do COMPETE 2020 é absolutamente essencial na execução deste projeto, uma vez que permite que sejam realizadas ações de carácter transversal, que beneficiarão globalmente o setor da ourivesaria, e que doutra forma dificilmente poderiam ser realizadas. Através deste programa permite-se uma capacitação setorial e criação de uma boa reputação que levará a um robustecimento das empresas da cadeia de valor do setor da ourivesaria em Portugal."

Fátima Santos

Apoio do COMPETE 2020

O projeto conta com o apoio do COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Apoio a Ações Coletivas, envolvendo um investimento elegível FEDER de 556 mil euros o que resultou num incentivo FEDER de 473 mil euros.

28/06/2017 , Por Miguel Freitas