Destaques
GreenEdge ECO PELETES

A empresa irá operar no aproveitamento e valorização de material das podas de vinhas e olivais para a produção de briquetes e pellets de biomassa. Atualmente em construção, a unidade da Greenedge será a primeira da Península Ibérica a laborar com recurso a material lenhoso proveniente das podas.

 

Enquadramento

A GreenEdge focaliza toda a sua atividade empresarial na valorização de desperdícios provenientes da poda das vinhas e olivais da região que tão bem conhece.

A GreenEdge recolhe a matéria-prima com os seus próprios meios, não gerando custos para os proprietários das explorações, e procede à recolha das galhas e restos das podas da vinha e dos olivais da região.

A inclusão de equipamento tecnologicamente avançado estudado/selecionado de forma criteriosa possibilitará à GreenEdge transformar o que agora é um resíduo sem utilização benéfica, num produto com valor acrescentado, passível de ser exportado, criador de riqueza e de emprego numa das regiões mais desertificadas do território nacional, o Baixo-Alentejo.

Atualmente a empresa já desenvolve a sua atividade na valorização de um outro recurso endógeno, o caroço de azeitona seco, para fim de uso em equipamentos de aquecimento central em edifícios públicos e privados, possuindo também clientes não só em Portugal mas também na Holanda, Bélgica e Alemanha para onde exporta este produto, adquirindo uma carteira de potenciais clientes para os novos produtos que se propõe produzir com este projeto.

 

 

Projeto

A unidade industrial apresentada no projeto GreenEdge ECO PELETES é uma unidade completamente nova, construída de raiz, tendo por base a experiencia industrial, a abundancia de resíduos de vinha e olival e a forte vontade de promover a transformação dessas podas em briquetes para churrasco, diferenciados, de alto valor no Mercado.

Simultaneamente, com a construção da unidade industrial ocorre a implementação de uma rede de recolha, organizada, dos resíduos nos locais das podas (vinha e olival). Esta rede funcionará como veículo para a obtenção de matéria-prima e ao mesmo tempo servirá, também, como ajuda à redução progressiva do espalhamento e queima das podas pelas vinhas e olivais, por parte dos agricultores.

Os desperdícios da cultura da vinha e do olival provêm da atividade de poda e estima-se que só na região Alentejana existam 205 000 toneladas/ano que não tem qualquer utilização. Com a construção desta nova unidade industrial, pretende-se principalmente valorizar um resíduo da atividade agrícola muito característica da zona, a cultura da vinha e do olival, geradoras, naturalmente de muitos desperdícios, que além de não terem qualquer uso têm efeitos negativos no ambiente e na cultura em si, e acarretam custos acrescidos na sua remoção e queima ao agricultor, sendo que, a produção de briquetes para churrasco se apresenta como uma excelente oportunidade para a valorização e aproveitamento deste tipo de resíduos.

Este projeto da GreenEdge, sendo pioneiro, poderá ser uma referência e o ponto de partida, para um novo setor de economia, assente em inovação, de alto valor acrescentado, orientado para os Mercados Externos e que soluciona um problema ambiental e económico dos viticultores e olivicultores, uma vez que o total de podas  no Alentejo representa 28% face ao volume nacional que ronda as 718 391 ton. / ano.

A GreenEdge assume a criação de um projeto integrado pretendendo:

- O desenvolvimento e lançamento no Mercado de uma Nova linha de produtos assente nos briquetes para churrasco;

- O lançamento de uma Marca Própria a nível Nacional e Internacional;

- A adoção de um inovador modelo Organizacional na empresa, assente em criar uma rede de recolha de resíduos, diretamente nos olivais e vinhas da região, colocando à disposição da comunidade um serviço de elevado valor económico e ambiental.

Este novo modelo organizacional da empresa exigirá um elevado nível de planeamento, alcançável com o apoio de modernas ferramentas informáticas e elevada capacidade de articulação durante o processo, a recolha das podas e o processamento constitui uma inovação de natureza radical a nível internacional.

 

 

Apoio

O projeto é promovido pela GREENEDGE - BIOMASSA E ENERGIA, LDA e conta com o apoio do COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Incentivos à Inovação Produtiva, envolvendo um Investimento elegível de 2 milhões euros o que resultou num Incentivo de 1,5 milhões euros.

 

 

Artigos relacionados

Facebook | https://www.facebook.com/greenedge.portugal/

Cuba recebe 1.ª empresa a produzir 'pellets' com lenha de podas na Península Ibérica in Diário de Notícias

16/08/2017 , Por Célia Pinto