Destaques
FAMEST é na essência um Cluster do Calçado e Moda

 

O projeto “FAMEST Footwear, Advanced Materials, Equipment’s and Software Technologies − Calçado e tecnologias avançadas de materiais, equipamentos e software”, é na essência um Cluster do Calçado e Moda que pretende apostar na internacionalização do calçado português, resultado de um consórcio liderado pela KYAIA.

 

Projeto

O projeto “FAMEST Footwear, Advanced Materials, Equipment’s and Software Technologies − Calçado e tecnologias avançadas de materiais, equipamentos e software, doravante FAMEST é na essência um Cluster do Calçado e Moda que pretende ser competitivo, tendo que para isso, apostar na criatividade, dominar todo o processo de produção e o ciclo de vida do produto, abraçar desafios, tendências e oportunidades societais, de mercado, tecnológicas, a indústria 4.0 e a economia circular.

Durante a próxima década, o Cluster pretende dar um salto qualitativo na internacionalização do calçado português, tornando-o uma referência fundamental destas indústrias a nível mundial, onde a sofisticação e a criatividade da oferta portuguesa, ao nível dos materiais, dos produtos, dos processos produtivos e dos modelos de negócio, permitirão “entrar” em segmentos de mercado onde a escolha se baseia mais na moda e na tecnicidade do que no preço.

Para que seja garantido esse posicionamento no mercado internacional, a aposta terá forçosamente que incidir na diferenciação, na flexibilidade, na rapidez de resposta, na qualidade dos produtos de modo a que se tornem competitivos e superiores aos da concorrência.

O FAMEST visa então, estudar e desenvolver, de acordo com o plano estratégico definido para o Cluster do Calçado e da Moda, as seguintes áreas de atuação:

  1. inovar ao nível do design e produtos, materiais e componentes, bens de equipamento e processos, modelos de negócio, economia digital e desenvolvimento sustentável e responsável;
  2. qualificar e rejuvenescer os recursos humanos, empresas e instituições para reforço das competências do Cluster na criação, promoção e gestão do produto e;
  3. internacionalizar e comunicar favorecendo o domínio da imagem do Cluster, elevando-a a padrões mais exigentes, sendo necessário investir numa imagem coletiva nacional, dada a dimensão do nosso país.

 

O FAMEST é promovido por um consórcio de 23 empresas de toda a cadeia de valor do calçado: couros, palmilhas, solas, produtos químicos, software, equipamentos, logística e calçado, representativas e líderes nos seus setores, e 9 entidades de I&I com competências multidisciplinares que asseguram o desenvolvimento de resultados inovadores e a sua valorização económica pelos promotores nos mercados nacional e internacional.

O seu modelo de gestão foi concebido para estimular e promover uma cooperação mobilizadora, integradora do Cluster industrial do calçado e das entidades de I&I. Para isso, nomeou-se um Conselho de Orientação e Fiscalização (COF), constituído por um representante de cada copromotor, responsável pelas decisões de topo e definição da estratégia do projeto, sendo presidido pela empresa copromotor líder a KYAIA.

 

De acordo com o mentor do projeto, Fortunato Frederico, presidente da KYAIA:

"O apoio do COMPETE 2020 é fundamental para estimular e garantir a implementação da Agenda de Investigação, desenvolvimento e Inovação (IDI), identificada e assumida colaborativamente pelo Cluster Português do Calçado e Moda para 2020, contribuindo para consolidar a posição de Portugal como uma referência fundamental a nível Mundial.

A abrangência e boa estruturação do programa operacional da economia COMPETE 2020, cujo desígnio primordial consiste no aumento de exportações e na maior incorporação de valor acrescentado nos produtos e/ou serviços da economia portuguesa, contribui de modo decisivo para ampliar o potencial da estratégia de desenvolvimento do Cluster do Calçado, baseada no trabalho em rede de empresas e entidades de IDI e na especialização inteligente, visando aproveitar oportunidades de mercado e paradigmas emergentes, para atingir uma maior internacionalização e competitividade."

 

Consórcio

O projeto FAMEST investe sobretudo em recursos humanos, reunindo equipas colaborativas para desenvolver áreas de trabalho essenciais e relevantes para a estratégia do Cluster, resultantes do seguinte consórcio que integra uma equipa multidisciplinar, complementar e sinérgica constituída por:

8 empresas fabricantes de calçado de moda e/ou técnico complementares:

KYAIA, JOIA, CARITÉ, CENTENÁRIO, EUREKA, JEFAR, ROPAR e AMF;

4 empresas do couro:

AVENEDA, C.BOAVENTURA, RUTRA e DIAS RUIVO;

1 empresa de produtos químicos:

INDINOR;

4 de palmilhas/solas:

ATLANTA, ALOFT, AGLOMEX e 3DC;

6 empresas de equipamentos e softwares:

CEI, FLOWMAT, INOCAM, K-S.INFORMÁTICAS, OFICINAWARE e ZIPOR; e

11 entidades do I&I:

CTCP, CTIC, CCG da UP(FADEUP, FCUP e FEUP), INESCTEC, INEGI, IPB, ISEP e UMINHO.

A KYAIA e a EUREKA asseguram adicionalmente a ligação à distribuição, retalho e lojas em território nacional e internacional.

 

 

Em conclusão o FAMEST contribuirá para estimular e garantir a implementação da Agenda de Investigação e Inovação, assumida pelo Cluster Português do Calçado e Moda para 2014-2020, contribuindo para consolidar a posição de Portugal como uma referência de valor a nível Mundial.

 

Apoio

O projeto FAMEST Footwear, Advanced Materials, Equipment’s and Software Technologies tem como promotor FORTUNATO O. FREDERICO & CA LDA e conta com cofinanciamento do Programa COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico I&DT - Programas Mobilizadores, envolvendo um Investimento elegível de 5,9 milhões de euros, que resultou num Incentivo FEDER de 4,2 milhões de euros.

 

Artigos relacionados

 

Site da KYAIA - Fortunato O. Frederico, Lda. AQUI

 

Conheça a história de Fortunato Frederico, com a entrevista ao Notícias Magazine, onde explica como se constrói um negócio de sucesso. Um homem que pode orgulhar-se da Kyaia, dono de mais 5 fábricas, da rede multimarca Foreva, mais de 80 lojas e mais de 600 empregados. E, é claro, de ser dono da marca de calçado Portuguesa mais vendida no mundo, um nome que 80% das mulheres conhecem: Fly London. AQUI

 

 

AQUI

 

 

 

World Footwear Portuguesa AQUI

 

11/08/2017 , Por Vanda Cardoso Pinheiro