Destaques
AlgaeCoat | Revestimentos comestíveis baseados em extratos de macroalgas para produtos hortofrutícolas frescos

A base deste projeto é a utilização da Alga como um substituto natural dos aditivos químicos na conservação de alimentos. Os aditivos de origem natural não oferecem risco para o consumidor e permitem uma maior conservação dos alimentos.

O Centro de Ciências do Mar e do Ambiente do Instituto Politécnico de Leiria (Mare-IPLeiria) e a empresa Campotec IN, pesquisaram um novo revestimento de origem marinha para aplicação em maçãs de quarta gama. O resultado foi a descoberta de uma alga que substitui aditivos químicos na conservação de alimentos.

O projeto inicial resultou na "obtenção e formulação de um revestimento, com base em compostos bioativos de uma alga verde comestível", que garante um tempo de prateleira "significativamente superior ao tradicional", explica Marco Lemos, coordenador do Mare-IPLeiria. Susana Silva, outras das investigadoras, clarifica: "As algas dão origem a uma solução, onde a fruta é imersa". E se está a franzir o sobrolho, a responsável desmistifica: "Toda a fruta tem um revestimento, é uma espécie de embalagem invisível dos alimentos", atesta.

Este revestimento de origem marinha pode vir a desempenhar um papel muito importante. Por um lado, permitirá a substituição dos aditivos sintéticos e, por outro, os produtos nos quais for aplicado este revestimento serão valorizados também pela extensão do atual tempo de prateleira em vários dias, o que possibilitará a sua exportação para novos mercados.

Na sequência dos resultados obtidos, existe já um pedido de patente em curso, que abrange não só o revestimento, mas também o seu processo de produção.

 

Objetivo

O objetivo era encontrar um substituto natural dos tradicionais aditivos químicos, que garantisse a conservação do produto por alguns dias.

 

Entidade Promotoras

O projeto junta uma empresa implementada no setor hortofrutícola, a Campotec IN, e uma entidade não empresarial do sistema de investigação e inovação com forte atividade de investigação na área da biotecnologia marinha, o Instituto Politécnico de Leiria.

 

Apoio

O AlgaeCoat foi apoiado pelo COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Incentivos à I&DT na vertente de Co-promoção, com um Investimento 260 mil euros o que resultou num Incentivo FEDER de 172 mil euros.

 

 

Mais Informação sobre o projeto:

 Campotec IN

 Expresso | 22jun2016

 

Fonte: COMPETE2020/CAMPOTEC/EXPRESSO

31/08/2016 , Por Célia Pinto