Notícias
OPDV: Um airbag que se adapta à fisionomia de cada ocupante?

Proteger as pessoas é o objetivo da investigação do Grupo ZF, no âmbito do projeto "OPDV" cofinanciado pelo COMPETE 2020, que consiste no desenvolvimento de um sistema de ventilação do airbag que possa controlar a sua permeabilidade em função da pressão, posição e tamanho do passageiro.

 

1. Síntese

O projeto OPDV visa o desenvolvimento de airbags com adaptabilidade passiva inteligente, com capacidade de se adaptar às caraterísticas inerentes a cada ocupante do veículo, sem necessitar de qualquer tipo de input elétrico extra para além dos usados em airbags comuns. Deste modo, será obtida a redução de custos no fabricante automóvel, redução de peso dos veículos através da redução significativa de cablagem, contribuindo para a redução de consumo de combustível do veículo e a redução de emissões CO2 para a atmosfera. 

O desafio do projeto resultou de um normativo do Euro NCAP - entidade europeia que disponibiliza informação da performance de segurança sobre os veículos comercializados no mercado europeu - que culminou na potencial criação de um “airbag inteligente”, com capacidade de distinguir o tipo de ocupante sentado e fornecer uma resposta adequada. Este fator de novidade no setor constitui um dos maiores desafios tecnológicos para a empresa e, consequentemente, aquela que agrega um conjunto de incertezas de complexa resposta, em termos de segurança passiva, fazendo com que a solução a desenvolver seja a mais evoluída que alguma vez foi concebida.

 

2. Sobre o projeto OPDV: Desenvolvimento de Airbags com adaptabilidade passiva

Em declarações ao COMPETE 2020, Alexandre Marques, do Grupo ZF, sintetiza a estratégia levada a cabo pela empresa e a importância do apoio do COMPETE 2020 no âmbito do projeto supra.

 

“Proteger as Pessoas. Esse é o objetivo da tradição contínua de inovação nos sistemas de segurança dos ocupantes. O Grupo ZF está continuamente a desenvolver soluções avançadas para antecipar e reagir às muitas variáveis de um acidente e uma dessas soluções são os sistemas de proteção de ocupantes e em particular os airbags, que ao longo das recentes décadas, foram introduzidos em série de maneira sistemática e para os mais variados tipos de proteção. Atualmente, e dado que o know-how existente já permite que os produtos tenham bons desempenhos nos fins para que foram desenvolvidos, assiste-se a uma tendência de evolução no próprio conceito de produto para uma nova geração, tendência essa que vai no sentido de se desenvolverem airbags adaptativos a diferentes situações de acidente e de tipologia de ocupante.

Face isso, passa pela definição e desenvolvimento de airbags inteligentes que possam distinguir que tipo de ocupante está sentado à sua frente e, mediante isso, ter uma resposta adequada à necessidade de novos paradigmas que possibilitem obter performances de proteção diferentes mantendo a definição do airbag e mudando apenas as características do ocupante, mas também pelo desenvolvimento de um airbag que se consiga adaptar ao ocupante do veículo, sem que, para tal, necessite de algum tipo de input elétrico extra para além dos já utilizados em airbags mais comuns e em maior uso no mercado.

É nesta realidade que o COMPETE 2020 tem uma influência importante para a elaboração do projeto de desenvolvimento de airbags com adaptabilidade passiva se inicia, tendo o propósito de inovar, de criar know-how e de impulsionar a inovação para recursos de adaptabilidade económicos para airbags e para ajudar a melhorar o desempenho de segurança.

Relacionando a necessidade e a estratégia abordada, o projeto consiste, no desenvolvimento de um sistema de ventilação do airbag que possa controlar a sua permeabilidade em função da pressão, posição e tamanho do ocupante do veículo. Esse objetivo, consiste na detalhada caracterização térmico-mecânica de diferentes materiais têxteis poliméricos de modo a terem a robustez necessária para o desempenho da função de proteção adaptativa, bem como na exata definição do design de produto do sistema de ventilação e a consequente alteração e adaptação de todo o airbag para acolher o sistema referido.

As inovações deste projeto contribuirão para que no futuro outros modelos de veículos automóveis possam dispor de soluções de segurança de adaptabilidade passiva mais avançadas do que atualmente têm, estando o seu desenvolvimento assente numa metodologia de planeamento e gestão das atividades de I&D bem definida, dividida entre a realização de uma sequência cíclica de atividades e tarefas, onde é fundamental a análise dos requisitos das entidades legais, dos clientes e do próprio promotor”.

 

3. Apoio do COMPETE 2020

O projeto OPDV: Desenvolvimento de Airbags com adaptabilidade passiva conta com o apoio do COMPETE 2020, no âmbito do Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico, envolvendo um investimento elegível de 1,9 milhões de euros, o que resultou num incentivo FEDER de 526 mil euros.

 

4. Links

Website Safe-Life - Indústria de Componentes de Segurança Automóvel S.A.

Website ZF em Portugal

Website IAPMEI

02/04/2018 , Por Cátia Silva Pinto
Portugal 2020
COMPETE 2020
Europa