Notícias
FallSensing: projeto tecnológico português reduz risco de queda nos idosos

Com o apoio do COMPETE 2020, três instituições portuguesas criaram uma solução tecnológica capaz de avaliar o risco de queda dos seniores e estabelecer um plano personalizado de exercícios de prevenção.

 

1. Síntese

Com o intuito de combater um dos principais problemas dos seniores, três instituições portuguesas uniram-se para desenvolver um sistema que permite avaliar o risco de queda e estabelecer um plano personalizado de exercícios de prevenção.

O sistema, que inclui funcionalidades que permitem uma intercomunicação regular dos seniores com os profissionais de saúde e de um módulo de recomendação automática de planos personalizados de exercícios para prevenção de quedas, que irá potenciar uma contínua adaptação do sistema à evolução de cada utilizador, será aplicado no terreno, a partir de janeiro de 2017.

O projeto FallSensing é um projeto em consórcio, de três anos, cujo investimento ultrapassa um milhão de euros, sendo financiado em cerca de 750 mil euros pelo COMPETE 2020. O apoio dos fundos comunitários tem sido, aliás, determinante, como evidencia Carlos Alcobia, CEO da empresa líder do projeto “graças ao indispensável apoio do COMPETE, a Sensing Future Tecnologies trouxe para o mercado dois novos produtos, transformando conhecimento científico em mais-valia comercial. Atendendo a esta prévia boa experiência, e enquadrada neste novo quadro, o COMPETE 2020, apostámos uma vez mais num projeto de investigação, desta vez em consórcio, focados e determinados em levar os resultados do mesmo para o mercado.”

E este é o grande objetivo do consórcio: criar e introduzir no mercado um produto que seja comercializável.

 

2. Descrição do projeto FallSensing

> Enquadramento

As quedas são um dos problemas de saúde mais comuns na terceira idade, representam mais de 50% das hospitalizações por lesões neste grupo etário e são consideradas uma das principais causas de institucionalização e perda de independência. As quedas têm uma origem multifatorial, no entanto, a maioria dos fatores de risco de queda podem ser minimizados, nomeadamente através do fortalecimento da força muscular e equilíbrio ou alterações comportamentais. Ainda assim, a avaliação do risco de queda e a implementação de planos de intervenção para a prevenção de quedas raramente fazem parte da rotina de um idoso. 

É neste sentido que surge o FallSensing, com o intuito de criar uma nova solução tecnológica que torne possível o rastreio e monitorização do risco de quedas e a implementação de planos de prevenção de quedas na população idosa. A tecnologia será simples, adaptada a diferentes casos de uso, transportável e com baixos custos de operação associados de forma a tornar a prevenção de quedas acessível a toda a população em risco de queda.

> Plataforma

O FallSensing inclui funcionalidades que permitem uma intercomunicação regular dos seniores com os profissionais de saúde. O projeto consiste num sistema desenvolvido especificamente para avaliar o risco de queda, implementar planos de exercícios para prevenir quedas e dar feedback durante a realização desses exercícios. Todos os dados obtidos durante a avaliação ou realização de exercícios são guardados numa plataforma de registo clínico onde os profissionais de saúde e cuidadores poderão consultar a evolução dos utentes e criar planos de intervenção personalizados.

O FallSensing inclui ainda um módulo de recomendação automática de planos personalizados de exercícios para prevenção de quedas, que irá potenciar uma contínua adaptação do sistema à evolução de cada utilizador.

> Testes piloto

O FallSensing será aplicado no terreno, a partir de janeiro de 2017, com a realização de testes piloto em diferentes fases do projeto em clínicas de fisioterapia, e com ações de rastreio e prevenção de quedas itinerantes que passarão por centros de saúde e municípios. Os testes serão efetuados em duas vertentes. Por um lado, vão ser desenvolvidos protótipos adaptados a múltiplos utilizadores para que possam ser usados de forma rotativa em centros de dia associados à rede COLABORAR, uma rede de voluntários do Fraunhofer AICOS. Os sistemas individuais serão usados de forma contínua pelos voluntários em suas casas.

Paralelamente serão desenvolvidos testes com os profissionais de saúde, em ambientes clínicos. Nesta versão será desenvolvida uma solução mais completa integrando uma plataforma de pressão e vários módulos de medição inercial (acelerómetro, giroscópio e magnetómetro) para colocar em diferentes segmentos corporais. 

O sistema poderá também ser utilizado, numa versão mais simples, por qualquer pessoa na sua própria casa. Para tal, alguns dos exercícios de prevenção de queda e de avaliação do risco de queda poderão ser realizados apenas com recurso a um dispositivo de medição inercial de baixo custo, que poderá ser ligado a uma televisão, tablet, smartphone ou computador para obtenção de biofeedback visual. Esta versão irá também permitir monitorizar o risco de queda ao longo do tempo, analisando os movimentos da pessoa ao longo do dia. A cada utente estará associado um perfil, permitindo que o profissional de saúde acompanhe remotamente, através da plataforma de registo clínico, a progressão do utente, não só através dos exercícios que realiza na clínica, como também dos exercícios que realiza por sua própria iniciativa, em casa ou no centro de dia.

 

3. Apoio do COMPETE 2020

3.1 Sistema de Incentivos

Cofinanciado pelo COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Incentivos à I&DT, o projeto FallSensing envolve um investimento elegível de 1.035 mil euros, a que corresponde um incentivo FEDER de 749 mil euros.

 

3.2 Consórcio

O projeto FallSensing é um projeto em consórcio composto pela empresa Sensing Future Technologies, que lidera o projeto, pelo centro de investigação Fraunhofer AICOS, e pela ESTeSC Coimbra Health School. 

> Sensing Future Technologies, empresa dedicada ao desenvolvimento e implementação de dispositivos médicos e instalada no Instituto Pedro Nunes em Coimbra, tem uma ligação estreita à área da Saúde e com um ADN marcado pela aposta em I&DI, apresenta uma equipa composta por sete elementos dedicada ao projeto, com um know-how base nas ciências da engenharia mecânica, informática e eletrónica. No seu currículo apresenta dois dispositivos médicos lançados no mercado fruto de resultados de um projeto I&DI. Neste momento tem um curso dois projetos europeus também eles de I&DI, sendo um deles do Horizonte 2020.  

>  Fraunhofer Portugal tem como missão promover a investigação aplicada com o intuito de fomentar o desenvolvimento económico e, simultaneamente dar resposta a um conjunto de necessidades da população. É uma associação sem fins lucrativos, com sede no Porto, tendo sido criada em 2008 pela Fraunhofer-Gesellschaft, a maior organização de investigação aplicada da Europa, e pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Alemã. 

 ESTeSC Coimbra Health School é uma das escolas pioneiras das tecnologias da saúde em Portugal. A sua história e cultura confere enquadramento a um conceito de escola diferenciador, onde se procura conjugar a formação e a investigação na área das ciências aplicadas à saúde.    

 

4. Links

Website do Projeto FallSensing 

02/11/2016 , Por Cátia Silva Pinto
Portugal 2020
COMPETE 2020
União Europeia