Notícias
Programa de Valorização & Promoção Internacional da Gastronomia Portuguesa e dos seus Produtos Endógenos

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) pretende, com este Programa, valorizar e promover a gastronomia portuguesa a nível internacional.

A gastronomia portuguesa tem nos produtos endógenos, alimentares e agroalimentares, os “ingredientes” basilares à sua afirmação enquanto bem imaterial integrante do património cultural de Portugal. Neste sentido está a ser efetuado um processo intensivo de recolha e sistematização de informação referente aos produtos alimentares e agroalimentares certificados (Denominação de Origem Protegida, Indicação Geográfica Protegida, Indicação Geográfica de Bebida Espirituosa) das regiões de convergência (Norte, Centro e Alentejo), que permita uma catalogação rigorosa dos mesmos, das suas caraterísticas distintivas e do conjunto de elementos de reconhecido valor acrescentado. Adicionalmente, o Programa vai identificar e caraterizar as principais empresas nacionais responsáveis pela produção dos referidos produtos certificados, localizadas nas regiões de convergência, por forma a estruturar uma matriz da oferta disponível, da capacidade produtiva, das caraterísticas e perfil destas empresas.

A “matéria-prima” da gastronomia portuguesa está intimamente ancorada, mas não em exclusivo, nos produtos alimentares e agroalimentares certificados, e compreende ainda um vasto e riquíssimo património imaterial que resulta da identidade singular de cada um dos espaços territoriais nacionais, com destaque para as regiões de convergência. Pelo que se reconhece que estes “conteúdos” assumem uma relevância fundamental na interpretação deste património gastronómico e da forma como o mesmo é entendido e valorizado pelos novos consumidores. Está a ser realizado um levantamento profundo do património gastronómico português exclusivo das regiões de convergência e do receituário tradicional português (aperitivos/ entradas, petiscos, sopas, pratos de peixe, pratos de carne, sobremesas, outros), por forma a reinterpretar o mesmo, enquanto se acrescenta valor ao receituário através da incorporação de informação técnica diferenciada (valor nutricional dos alimentos, identificação de alérgenos, sugestões diversas, entre outros). Paralelamente, propõe-se produzir conteúdos textuais, fotográficos, audiovisuais e multimédia distintivos e criativos do receituário tradicional das regiões de convergência.

Em paralelo, pretende-se proceder à constituição da rede de restaurantes portugueses no mundo (Casas de Portugal). De acordo com a estratégia empreendida pela AHRESP, a primeira fase de implementação desta rede será concentrada nos cinco principais mercados emissores de turismo para Portugal (Alemanha, Brasil, Espanha, França e Reino Unido), uma vez que se procura concretizar ações “win-win” nestes mercados, na promoção internacional da gastronomia portuguesa e na capacidade atrativa do destino Portugal, também pelo seu diversificado e riquíssimo património gastronómico.

Neste âmbito a AHRESP está a efetuar, nos cinco mercados indicados, a identificação e respetiva caraterização intensiva dos estabelecimentos de restauração portugueses destes mercados, assim como, definir e sustentar o modelo de governance da rede internacional de restaurantes portugueses. Paralelamente, propõe-se operacionalizar um sistema integrado de qualificação/ certificação dos estabelecimentos de restauração e dos respetivos suportes de comunicação que identifiquem e enquadrem os mesmos nesta rede de dimensão mundial.

 


Testemunho de Mário Pereira Gonçalves

Presidente da AHRESP

   

 

Promover internacionalmente a gastronomia e as empresas portuguesas são os grandes objetivos deste nosso programa, atuando como potenciador da economia, na medida em que valoriza e estimula o consumo dos produtos e serviços nacionais no mercado externo e qualifica o destino turístico Portugal.

A gastronomia representa a identidade de um país, evidencia a sua riqueza, as suas tradições, a sua cultura e geografia, pelo que todos estamos orgulhosos e motivados para executar este programa, que entendemos ser da maior relevância para a promoção da nossa gastronomia e para a valorização das comunidades portuguesas nas sociedades dos locais onde se encontram, e sobretudo, fazê-lo com os empresários da restauração portuguesa no estrangeiro, dando-lhes a merecida voz”.


A AHRESP está também a desenvolver, no âmbito do projeto, uma plataforma digital de promoção global da gastronomia portuguesa. A Plataforma Gastronómica de Portugal assume uma dimensão estratégica na medida em que concretiza os outputs anteriores, conferindo-lhes significado e essência face à ambição do presente Programa nas suas múltiplas dimensões. Esta ferramenta promoverá e dinamizará a gastronomia portuguesa, a rede de restaurantes portugueses no mundo e os produtos alimentares e agroalimentares nacionais de excelência.

A plataforma digital funcionará com um módulo de partilha de informação entre os membros da rede de restaurantes e terá ainda um micro-site destinado a promover as atividades do Programa, nomeadamente, os mercados portugueses que vão ser realizados em cada um dos países, as ações promocionais e as demais atividades. Paralelamente, será desenvolvida uma APP para smartphones (iOS e Android) dedicada à gastronomia portuguesa e à rede internacional de restaurantes portugueses.

Com o objetivo de criar notoriedade em relação à gastronomia das regiões contempladas, e de gerar tráfego à plataforma gastronómica online, está a ser realizada uma campanha de promoção e dinamização da gastronomia portuguesa, da rede de restaurantes portugueses no mundo e dos produtos nacionais de excelência.

O Programa também irá organizar e participar em eventos internacionais exclusivos sob as temáticas do turismo e da gastronomia. A melhor forma de divulgar a Gastronomia Portuguesa é dar a provar as receitas mais representativas de Portugal. São propostas ações de degustação através da oferta de amostras dos pratos mais emblemáticos, nos principais locais onde a gastronomia real de cada país está presente.

Apoio

O projeto conta com o apoio do COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Apoio a Ações Coletivas, envolvendo um investimento elegível FEDER de 2,4 milhões de euros o que resultou num incentivo FEDER de 2 milhões de euros.

23/10/2017 , Por Miguel Freitas