Notícias
weWallet: Timwe cria uma forma inteligente de pagar

O projeto weWallet visa desenvolver soluções que permitam aos utilizadores usar e gerir pagamentos, identificação pessoal, bilhética digital, e por outro lado permitir aos comerciantes implementar e gerir estratégias de marketing móvel de forma segura, fazendo-os diferenciarem-se da concorrência por uma shopping experience otimizada.

 

Projeto weWallet: Universal Mobile Wallet Ecosystem

Síntese 
 
O projeto visa investigar e desenvolver um ecossistema que maximize a aceitação de Mobile Wallets por parte de consumidores e comerciantes. Tenciona-se, por um lado, investigar e desenvolver soluções móveis que desmaterializem carteiras físicas e permitam a utilizadores usar e gerir estes elementos em formato digital, proporcionando uma melhor experiência que a atual. Por outro, pretende-se permitir, a comerciantes, implementar e gerir estratégias de marketing móvel, fazendo-os diferenciarem-se da concorrência por uma shopping experience otimizada, ao mesmo tempo que poupam em custos de processamento de pagamentos.
 
Âmbito 
 
Os dispositivos móveis têm atingido um nível de penetração massivo nas sociedades, e as suas capacidades crescentes de aquisição, comunicação e processamento de dados fazem com que sejam instrumentos ideais para fomentar mudanças paradigmáticas nas rotinas das pessoas. 
 
Tal é o caso da desmaterialização de carteiras físicas em aplicações móveis, uma tendência promissora para pagamentos, identificação, bilhética e marketing. Os serviços digitais móveis têm vindo a crescer nestas áreas prometendo, a Wallet Owners, melhorar a conveniência, segurança, controlo sobre itens e novas experiências disruptivas no uso de elementos que tradicionalmente se encontram em formato físico. Para os Place Owners (ex. logistas), estes ecossistemas de serviços móveis têm potencial para oferecer menores custos de processamento de pagamentos, controlo sobre campanhas de marketing direcionado, maior proximidade aos clientes e conhecimento sobre os seus interesses e preferências. Outras vantagens reconhecidas são o incremento da eficiência dos serviços, aspeto que leva nomeadamente à redução de espera em filas, e uma inovadora Customer Experience, vista como fator diferenciador entre comerciantes/marcas.
 
Porém, existem diversos desafios associados a estes sistemas. A investigação mostra que apenas 13% das pessoas que possuem smartphones têm serviços de Mobile Wallet instalados e, destas, 76% raramente ou nunca os usa. As razões para tal são diversas: User Experience frágil, nomeadamente em termos de confiança, usabilidade, receios de segurança e privacidade, e poucas mais-valias percebidas por parte de Wallet Owners e Place Owners; coexistência de pagamentos móveis com outros serviços e respetiva interoperabilidade; coexistência de múltiplas Mobile Wallets num dispositivo; tecnologias de comunicação entre Wallet Owners e Place Owners, e pagamentos por proximidade; e a falta de colaboração entre stakeholders.
 
Apesar das reconhecidas vantagens das carteiras digitais móveis e das várias iniciativas de grandes empresas tecnológicas, os desafios mencionados têm atrasado uma significativa penetração destas soluções no dia-a-dia das pessoas, sendo necessários mais estudos para uma decolagem tecnológica e comercial efetiva.
 
Áreas de aplicação 
 
O ecossistema weWallet tem como objetivo ser modular, abstrato à área de negócio e escalável. As suas áreas de aplicação são as seguintes:
> Pagamentos móveis in-situ: lojas, cafés, restaurantes, serviços públicos, entre outros.
> Identificação móvel: controlo de acessos empresariais ou de serviços (ginásios, bibliotecas, escolas, parques temáticos, resorts, festivais de verão, entre outros).
> Bilhética (ticketing): comercialização e uso mobile de tickets de entrada, de trocas por bens ou serviços ou de aluguer de equipamento.
> Marketing: gestão e distribuição de marketing móvel direcionado, e gestão de mecanismos de Gamification na relação com o consumidor (cartões de fidelização, rankings, cupões e talões de descontos)
 
Estado atual do projeto
 
Iniciado em Dezembro de 2015, o projeto tem vindo a seguir uma metodologia de investigação-ação user-centered, da qual se planearam 3 iterações. Depois da recolha de requisitos com utilizadores semelhantes a utilizadores finais (Wallet Owners e Place Owners) articulada com investigação aplicada no âmbito dos diversos aspetos técnicos relativos à desmaterialização de carteiras físicas, já se desenvolveu um primeiro protótipo do ecossistema, o qual foi avaliado com os mesmos utilizadores. Esta avaliação alimentou a segunda iteração de investigação da metodologia. 

Em Outubro de 2017, efetuou-se um piloto do projeto em contexto real, usando a cantina da Parkurbis (Incubadora de Empresas da Covilhã) onde foi possivel recolher informação vital sobre o protótipo funcional. O próximo passo será a avaliação em contexto de maior dimensão, estando a ser estudada a realização do piloto na Estância de Ski da Serra da Estrela, com muito maior visibilidade e impacto no projeto.

De notar ainda, que no desenrolar do projeto foram submetidos 3 artigos cientificos:

> No Evento ICE-B 2017 - 14th International Joint Conference on e-Business and Telecommunications, através do seu paper: "Requirements Elicitation For a Holistic Mobile Wallet Ecosystem".

> No Evento CICN2017 9th International Conference on Computational Intelligence and Communication Networks, através dos seus papers: “Marketing Behaviors Analysis in a Mobile Wallet Solution Using Data";

“Security testing framework for a novel mobile wallet ecosystem”.

 
Apoio
 
O projeto weWallet é cofinanciado pelo COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico, com um investimento elegível de 949 mil euros, correspondendo a um incentivo FEDER de 650 mil euros.
 
Para Dário Gaspar, Tax & Financial Incentives TIMWE “o apoio do COMPETE 2020 e o envolvimento do SCTN (Sistema Cientifico e Tecnológico Nacional), através da UBI - Universidade da Beira Interior (entidade externa, responsável pelo acompanhamento científico do projeto) é fundamental na medida em que permite à TIMWE LAB o desenvolvimento de projetos de investigação tecnológica de longa duração de uma forma sustentada, permitindo (i) desenvolver atividades de I&D tendo em conta o futuro da Empresa e a sua concorrência a nível internacional; (ii) apresentação de soluções tecnológicas inovadoras num time-to-market bastante curto; (iii) estreitar laços de cooperação com as Entidades do Sistema Cientifico Tecnológico; (iv) contratação de quadros qualificados, contribuindo diretamente para a fixação de Recurso Humanos altamente qualificados na região, promovendo o seu desenvolvimento e impedindo a fuga não só a nível regional, como também a nível nacional.
A aprovação do projeto e o apoio do COMPETE 2020 ao projeto é igualmente importante para o desenvolvimento da área de I&D da Empresa (génese), sendo que a obtenção do financiamento permitiu ainda reforçar a equipa de investigação, assim como adquirir equipamento laboratorial, fundamental para a investigação, desenvolvimento e execução de testes e ensaios da solução weWallet”.

09/11/2017 , Por Cátia Silva Pinto
Portugal 2020
COMPETE 2020
Europa