Notícias
Hotel A Brasileira - Porto

O Hotel A Brasileira Porto abre portas dia 23 de março, devolvendo à baixa portuense o renascimento de um dos edifícios mais emblemáticos desta cidade. Este projeto de restauração e hotelaria, apoiado pelo COMPETE 2020, é assente na recuperação de um dos edifícios mais icónicos da cidade do Porto, passando a albergar uma unidade hoteleira de 5 estrelas, a tradicional cafetaria A Brasileira, e um restaurante de enorme beleza e qualidade.

O espaço está incluído na zona especial de proteção do conjunto da Praça da Liberdade, Avenida dos Aliados e Praça do General Humberto Delgado, no centro histórico do Porto, o prédio ocupa a totalidade do gaveto que une a Rua Sá da Bandeira com a Rua do Bonjardim, apresentando três frentes de dimensão desigual, que formam um U.

As unidades de restauração existentes, o restaurante e a cafetaria, foram mantidas na traça original do edifício, incluindo a monumental pala de entrada, tal como todos os elementos arquitetónicos de mármores trabalhados, adornos de latão e cobre, alabastro, ferro forjado, azulejos, vidros e madeiras, de modo a preservar os seus 115 anos de história. O projeto permite uma exploração independente das unidades de restauração da unidade hoteleira, ainda que interligadas e absolutamente complementares.

Esta pretensão enquadra-se no âmbito da revitalização da baixa portuense com fortes potencialidades no sector do turismo. Enquanto lugar de inegável importância histórica e cultural da cidade do Porto, gerará atratividade e consequentemente oportunidades de negócio, atuando igualmente como elemento gerador de identidade e imagem desta zona da cidade.

A unidade hoteleira foi dotada de um total de 90 unidades de alojamento distribuídas por seis pisos, com ginásio e jardim vertical. O objetivo foi a criação de um hotel temático, dedicado às especiarias que marcaram a epopeia dos descobrimentos portugueses, de forma a gerar várias experiências a disponibilizar aos hóspedes, em torno de ambientes e atmosferas únicas. As experiências estarão associadas às sensações a disponibilizar em cada piso, com recurso ao café, chá, cacau, pimenta, canela e anis e produtos conexos.

Através de ofertas complementares poder-se-á mitigar a sazonalidade, alongando os períodos de época média / alta adotando uma estratégia de inovação bem estruturada e planeada, devidamente alinhada com a estratégia de negócio.

O caráter de inovação destaca-se, bem como o elevado perfil diferenciador face à oferta existente. O Hotel apresenta elevados padrões de inovação em diferentes vertentes: a sua temática, a sua localização, a sua localização específica, ou seja, inserido num imóvel classificado, acrescendo situar-se no centro de uma grande cidade; as valências oferecidas, a par do próprio projeto, são coerentes com a integração num imóvel de referência, numa lógica de preservação de património e projetado numa lógica de evolução inovadora.

Assim, a diferenciação assentará no próprio conceito e filosofia do hotel, chamando à atenção das suas características únicas e memoráveis. A criação de hotéis boutiques / de charme como A Brasileira é um excelente exemplo de uma oferta inovadora. Estes hotéis são geralmente mais pequenos, com menos de 100 quartos, destacando-se pela sua decoração e arquitetura. A sua componente humana e cultural são também consideradas únicas, facilitando o processo de diferenciação da concorrência.

A Brasileira pretende afirmar-se como o melhor hotel da cidade, quer seja para receber hóspedes que viajam em negócios, para famílias e turistas que visitam a cidade e até mesmo como oferta complementar para receber visitantes que atendem aos grandes eventos/congressos/reuniões realizados na cidade do Porto.

 

O Apoio do COMPETE 2020

O projeto conta com o apoio do COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Incentivos à Inovação, envolvendo um investimento elegível de 6,8 milhões de euros o que resultou num incentivo FEDER de cerca de 3,4 milhões de euros.

Para Pedro Oliveira, administrador executivo do Grupo OPPA, “as linhas de cofinanciamento a este tipo de projetos, enquadradas nos fundos estruturais do PORTUGAL 2020, são um poderoso estímulo aos investidores, que veem assim reconhecida e partilhada a sua capacidade de risco”.

 

O administrador executivo do Hotel A Brasileira Porto relembra que, “sendo certo que estes apoios de cofinanciamento não são subsídios a fundo perdido, mas são tão só uma alavanca ao risco do investidor que terá de reembolsar ao COMPETE 2020 os incentivos adiantados na fase de construção, ainda assim devemos reconhecer que é um gesto de conforto do Estado, que muito estimula os investidores”.

Acresce Pedro Oliveira que “este tipo de parcerias também estimula o rigor da gestão, o cuidado na análise de risco, e o escrutínio sobre a validade dos projetos. Ou seja, a transparência nos investimentos surge aqui muito mais evidenciada, impulsionando a nossa economia para um patamar de modernidade que, durante décadas, esteve ausente das preocupações de muitos empresários”.

A concluir, Pedro Oliveira refere que: “O projeto de A Brasileira é uma aposta de família, que sempre seria concretizado, com ou sem os incentivos do COMPETE 2020. Mas importa deixar aqui uma palavra de reconhecimento ao Turismo de Portugal pela forma altamente profissional que tem demonstrado no acompanhamento e apoio que vem prestando a este tipo de investimentos, que cada vez mais ajudam a modernizar a nossa indústria do turismo.”


 

13/03/2018 , Por Miguel Freitas
Portugal 2020
COMPETE 2020
Europa