GRLF: Conceção e caracterização de coberturas verdes e fachadas vivas construídas com sistemas estruturados em cortiça

Cofinanciado pelo COMPETE 2020, este projeto visa desenvolver de sistemas de coberturas verdes e fachadas vivas que façam uso de aglomerado de cortiça expandida, possibilitando a melhoria do desempenho ambiental e energético em conformidade com os requisitos funcionais e de durabilidade impostos pelas guidelines internacionais.

 

Síntese

A implementação de coberturas verdes e fachadas vivas (GRLF) tem vindo a ser apontada como uma das soluções capaz de mitigar e adaptar o parque edificado aos principais problemas que as cidades europeias enfrentam.

Neste projeto pretende-se desenvolver sistemas de coberturas verdes e fachadas vivas (GRLF) que façam uso da cortiça natural expandida para a conceção das camadas interiores destes sistemas. Com a incorporação de cortiça natural expandida no sistema pretende-se melhorar o desempenho ambiental e energético destas tipologias, conduzindo a soluções menos impactantes do ponto de vista ambiental.

A utilização da cortiça expandida deve garantir o isolamento térmico e a durabilidade pretendidos, bem como, respeitar todos os requisitos funcionais impostos a estas soluções.

 

Objetivos

•    Conceção de sistemas GRLF construídos com sistemas estruturados em cortiça natural expandida. •    Aplicação de uma nova abordagem experimental no estudo dos sistemas GRLF.

•    Desenvolvimento e implementação de modelos numéricos para simular o escoamento hidráulico e o comportamento higrotérmico e acústico do sistema.

•    Definição de regras gerais para a aplicação dos sistemas GRLF.

 

Atividades

•    Caraterização do ICB e do substrato.

•    Conceção e design dos sistemas GRLF.

•    Avaliação do comportamento do sistema em câmaras bioclimáticas.

•    Simulações numéricas e validação com os resultados experimentais.

•    Definição de linhas de orientação e regras práticas para os sistemas GRLF.

 

Consórcio

Este projeto, com início em Junho de 2016, terá a duração de 36 meses e envolve duas entidades do Sistema Científico e Tecnológico (Universidade de Coimbra e o ITeCons) uma organização sem fins lucrativos (ANQIP) e uma entidade empresarial (Neoturf). 

A Universidade de Coimbra como entidade de referência no ensino superior e na I&DT em Portugal, possui os conhecimentos necessários para o desenvolvimento e formulação de modelos numéricos capazes de descrever o comportamento das soluções. 

A ANQIP, como organização sem fins lucrativos cujo objetivo é assegurar a qualidade e eficiência dos sistemas de águas prediais, contribuirá com o conhecimento e a análise crítica necessária para o desenvolvimento das camadas de filtro, retenção e drenagem de água do sistema, bem como auxiliará na implementação de sistemas de recolha de águas pluviais a partir da cobertura verde e fachadas vivas. 

O ITeCons como entidade do Sistema Científico e Tecnológico possui competências na área da investigação e conhecimentos técnicos vantajosos para o desenvolvimento de sistemas sustentáveis inovadores na área dos sistemas GRLF, bem como, para avaliação e estudo do comportamento dos mesmos. 

A Neoturf, como entidade empresarial com cerca de 18 de anos de experiência na criação de espaços verdes e aplicação de coberturas verdes possui os conhecimentos necessários em termos de utilização, manutenção e instalação destas soluções e das diferentes espécies vegetativas e substratos.

 

Apoio do COMPETE 2020

O projeto “GRLF - Conceção e caracterização de coberturas verdes e fachadas vivas construídas com sistemas estruturados em cortiça natural expandida” foi cofinanciado pelo COMPETE 2020, no âmbito do Sistema de Apoio à Investigação Científica e Tecnológica (SAICT) e contou com um investimento elegível de cerca de 162 mil euros e um incentivo FEDER de 137 mil euros.

Professor António Tadeu, responsável pelo projeto e presidente da direcção no ITeCons explica a importância do financiamento obtido.

“Numa época em que a economia e as alterações climáticas colocam novos desafios à indústria, a aprovação de um projeto como o GRLF e o seu financiamento através de fundos do COMPETE 2020,  reveste-se de muita importância para o ITeCons e para as entidades parceiras do projeto (Universidade de Coimbra, ANQIP e Neoturf), apoiando a investigação e o desenvolvimento de uma área em forte crescimento.

As coberturas verdes e as fachadas vivas têm vindo a ser considerados sistemas eficazes na resposta a alguns desafios ambientais das cidades. A implementação destas soluções permite reduzir o consumo energético dos edifícios, reduzir o risco de inundações, mitigar o efeito da ilha de calor e fixar poluentes atmosféricos, contribuindo para alcançar as metas definidas pela Europa. 

Com o desenvolvimento deste projeto será possível estudar uma nova solução de sistemas de coberturas verdes e paredes vivas, mais sustentáveis, utilizando aglomerado de cortiça expandida.”

 

 

Links

Site do projeto 

30/05/2017 , Por Cátia Silva Pinto
Portugal 2020
COMPETE 2020