Eco Sustainable Rail: um produto eco sustentável inovador

Liderado pela Extruplás, o consórcio deste projecto visa desenvolver protótipo de travessas de caminho-de-ferro eco-sustentáveis, a partir do aproveitamento de uma mistura de plásticos oriundos da fileira dos plásticos mistos, a serem testadas em cenário real na Infraestruturas de Portugal.
 
1. Sobre o projecto Eco Sustainable Rail: Valorização de plásticos mistos no desenvolvimento de travessas de caminhos-de-ferro eco sustentáveis
 
1.1 Enquadramento
 
“Os plásticos mistos, pelas suas características de heterogeneidade e contaminação, constituem a situação limite de dificuldade de reciclagem, o que muito tem contribuído para que exista uma elevada fração de plásticos mistos depositada em aterro. Esta situação constitui um motivo de preocupação, pelo que é imperativa a procura de novas soluções de aplicação destes resíduos e a sua valorização enquanto matéria-prima de produtos de elevado valor acrescentado. Atualmente existe em Portugal e a nível global uma necessidade de encontrar soluções de travessas de caminho-de-ferro que sejam uma alternativa viável à substituição de travessas de caminho-de-ferro em madeira, que normalmente têm uma aplicação especial e não podem ser substituídas pelas soluções de cimento existentes no mercado”, comenta ao COMPETE 2020 Sandra Castro, Diretora Geral da Extruplás - Reciclagem, Recuperação e Fabrico de Produtos Plásticos. Acrescenta “neste contexto, o projeto Eco Sustainable Rail pretende dar resposta às necessidades elencadas, através da valorização de plásticos mistos no desenvolvimento de travessas de caminho-de-ferro eco - sustentáveis, maioritariamente constituídas por plásticos mistos que serão testadas em cenário real de funcionamento na Infraestruturas de Portugal”.
 
1.2 Âmbito
 
O projeto Eco Sustainable Rail pretende valorizar plásticos mistos no desenvolvimento de travessas de caminho-de-ferro ecosustentáveis, que serão testadas em cenário real de funcionamento na Infraestruturas de Portugal (IP).Globalmente o projeto permitirá contribuir para a redução da deposição de plásticos mistos em aterro, responder a uma necessidade do sector ferroviário e permitir a expansão e diferenciação do portfólio de produtos da Extruplas, permitindo reforçar o seu posicionamento no seu setor de atividade.
 
Sandra Castro comenta que “o projeto está sustentado no desenvolvimento de três linhas de investigação (investigação e desenvolvimento de um novo material maioritariamente de plásticos mistos, investigação de uma geometria de travessa, Investigação de um novo processo produtivo), no desenvolvimento da análise do ciclo de vida e da avaliação ambiental das travessas em situação real e na realização de testes e ensaios das travessas em situação real de funcionamento”. 
 
1.3 Objetivos
 
> Investigação e desenvolvimento de um novo material maioritariamente de plásticos mistos;
Investigação de uma geometria de travessa (especificação do produto) que permita responder a questões funcionais de assemblagem, amortecimento e vibrações;
> Investigação de um novo processo produtivo que responda aos requisitos definidos para este tipo de produção;
Desenvolvimento da análise do ciclo de vida e custo, assim como a avaliação ambiental das travessas testadas em cenário real;
> Testes e ensaios das travessas em situação real de funcionamento.
 
 
1.4 Resultados Esperados
 
“Globalmente, o projeto permitirá contribuir para a redução da deposição de plásticos mistos em aterro, responder a uma necessidade do sector ferroviário, assim como permitir a expansão e a diferenciação do portfólio de produtos da EXTRUPLÁS, o que permitirá reforçar o seu posicionamento no sector da reciclagem de plástico”, diz a Diretora Geral da Extruplas.
 
 
2. Apoio do COMPETE 2020
 
2.1 Sistema de Incentivos 
 
O projeto Eco Sustainable Rail é cofinanciado pelo COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico, na vertente em co-promoção, envolvendo um investimento elegível de 1.3 milhões de euros, o que resultou num incentivo FEDER de 845 mil euros.
 
2.2 Consórcio
 
Para a realização deste projeto foi reunido, em consórcio, um conjunto de entidades com experiência e com competências complementares, nomeadamente a empresa líder EXTRUPLÁS, o Polo de Inovação em Engenharia de Polímeros (PIEP) e o Centro para a Valorização de Resíduos (CVR), que com o suporte técnico da Infraestruturas de Portugal (IP) serão capazes de desenvolver e testar uma nova travessa de caminho-de-ferro de qualidade e com um menor impacto ambiental. 
 
 
3. Links úteis
 

08/02/2018 , Por Cátia Silva Pinto
Portugal 2020
COMPETE 2020
Europa