Notícias
Copper Recycling Leader: a reciclagem de cobre em Portugal

Promovido pela Aguimetais Lda., o projeto tem por objetivo instalar em Portugal uma unidade de reciclagem e valorização de fio de cobre inovadora, de elevada produtividade e que se socorre de um processo tecnologicamente avançado e pioneiro, existente apenas em França que, além de amigo do ambiente, é de elevada capacidade operacional, garantindo a obtenção de cobre com elevado grau de pureza até à 3ª refinação.

O grande objetivo é dotar Portugal de capacidade de auto-abastecimento desta matéria-prima de base a várias indústrias (atualmente adquirida no mercado externo), contribuindo para a sustentabilidade ambiental ao economizar este recurso natural e ao adotar um processo de fabrico eco-friendly, de baixo consumo energético e sem qualquer impacto poluente, uma vez que não produz qualquer tipo de lixo industrial.

O projeto pressupõe: sustentabilidade ambiental e eficiência na utilização dos recursos naturais, por um lado, a substituição das importações deste material, pois a unidade é capaz de reciclar 75% do fio de cobre existente, com os efeitos positivos que isto proporciona a jusante nas indústrias utilizadoras de cobre (diminuí a dependência no mercado externo para se abastecer e do poder negocial exercido pelos fornecedores externos).

Enquadramento

O recurso à utilização do cobre, dadas as suas inúmeras aplicações, é excessivamente elevado, originando num descarte acentuado dos produtos e resíduos que o utilizam. Urge assim a necessidade de usar eficientemente este recurso, economizando a energia necessária para “produzir” o metal primário, contribuindo para a preservação do meio ambiente. Na atualidade, a UE propicia uma política de minimização de resíduos que inclui uma redução obrigatória e drástica dos resíduos industriais e residenciais, incentivando produtores a produzir menos lixo. Dessa forma, a procura por matérias-primas alternativas que permitam cumprir com as diretrizes europeias no processamento de resíduos elétricos e eletrónicos transformou a reciclagem do cobre num domínio altamente prioritário.

Atualmente, apenas 43% das necessidades de cobre na UE são supridas pela reciclagem. A meta para 2018 é reciclar 8kg/hab/ano. Existe, por isso, uma enorme escassez de oferta, que mantém o preço elevado e garante o escoamento e rentabilidade do negócio.

Portugal continua com baixos índices de reciclagem, onde 2013 somente 0,8% dos resíduos sólidos urbanos recolhidos foram reciclados em território nacional. Atualmente os nossos resíduos de cobre são exportados por operadores de resíduos europeus que depois nos vendem o cobre reciclado. Portugal é dos maiores importadores de cobre reciclado devido à falta de capacidade interna, o que, além de aumentar o custo de uma das matérias-primas de base a inúmeras indústrias, aumenta consideravelmente o poder negocial da indústria fornecedora de cobre reciclado.

A viabilidade da indústria do cobre está, assim, economicamente dependente da reciclagem de todos os seus desperdícios. Surge aqui a eminente necessidade de passarmos a reciclar este material internamente.

O Projeto

É neste âmbito que a Aguimetais Lda. pretende construir um novo estabelecimento para iniciar-se na reciclagem de cobre e com isso pretende atingir os seguintes desígnios estratégicos:

-Minimizar o descarte indiscriminado dos resíduos de cobre e o impacto negativo que isso acarreta para a poluição do meio ambiente;

-Economizar a matéria-prima natural, um recurso natural esgotável;

-Economizar energia gasta no processo de fabricação do metal primário, uma vez que o processo de reciclagem tem um consumo energético diminuto e nulo impacto poluente, dado que por não ser um processo químico, dele não resulta qualquer tipo de lixo residual;

-Substitui importações de uma das principais matérias-primas de base à indústria que atualmente é, fundamentalmente, proveniente de França, e aumentará as exportações, o que se reflete automaticamente num efeito positivo na balança comercial portuguesa;

-Aumenta a competitividade do nosso tecido industrial, diminuindo a dependência do mercado externo para aquisição desta matéria e do controlo exercido pela indústria fornecedora de cobre reciclado, de elevado poder negocial, nas empresas que dele necessitam.

O promotor (a Aguimetais) propõe-se a desenvolver esta atividade de forma inovadora, devido a 3 fatores fundamentais:

1.Nova Tecnologia Produtiva de Elevada Produtividade e Eco-Friendly

Para o processo de reciclagem e valorização de fio de cobre, a empresa irá recorrer a uma tecnologia totalmente nova e pioneira no mercado. Devido à recente tecnologia que incorpora, permite obter granulado de cobre com menos de 2% de impurezas até à 3ª refinação (as convencionais mantém no máximo um produto final com 6% de impurezas).Este processo é capaz de recuperar 100% do cobre utilizado, constituindo uma economia de 85% em relação à produção primária. Trata-se de uma linha de elevada produtividade que garante a máxima eficiência operacional. É um processo ambientalmente sustentável devido ao seu baixo consumo energético, não poluente e que não produz qualquer tipo de lixo industrial.

O investimento proposto no presente projeto tem como objetivo infraestruturar a sua unidade industrial com as condições ótimas para laborar.

2.Sustentabilidade Ambiental

Além da tecnologia produtiva instalada na unidade produtiva oferecer um processo ambientalmente sustentável devido ao seu baixo consumo energético, não poluente e que não produz qualquer tipo de lixo industrial, a própria atividade que a empresa se propõe desenvolver é uma medida ativa de eficiência ambiental (processo mecânico e não químico).

Assim, estamos perante uma empresa cuja atividade está estrategicamente enquadrada com a prioridade nacional e comunitária de uma maior eficiência energética e de sustentabilidade no uso dos recursos.

3. Substituição das Importações

A reciclagem e valorização interna deste material compensa a falta de minas de cobre na UE e, portanto, diminui a dependência da indústria em matéria-prima importada, tornando-a autossuficiente e com capacidade de autoabastecimento. Os produtos que usamos todos os dias contêm milhões de toneladas de cobre que podem ser reutilizados no final do ciclo de vida do mesmo, tornando-se um novo recurso disponível para o nosso futuro.

Isto aumenta a competitividade do não tecido industrial ao diminuir a dependência do controlo exercido pela indústria fornecedora de cobre reciclado, de elevado poder negocial, contribuindo para uma maior flexibilidade operacional das empresas e para a sua sustentabilidade e crescimento futuros.

O Apoio do COMPETE 2020

O projeto conta com o apoio do COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Incentivos à Inovação, envolvendo um investimento elegível de 6 milhões de euros o que resultou num incentivo FEDER de cerca de 4,2 milhões de euros.

13/07/2018 , Por Miguel Freitas
Portugal 2020
COMPETE 2020
Europa