Notícias
Promoção da autonomia de idosos frágeis através da melhoria da cognição e capacidade de marcha e utilização de produtos de apoio

O projeto MIND&GAIT decorre de uma necessidade expressada por profissionais de saúde em ambientes regionais de atendimento primário e hospitalar e em instituições sociais para idosos, com o objetivo de ter uma estratégia mais integrada, criativa e dinâmica para prevenir a fragilidade de pessoas idosas.

O processo de envelhecimento, em conjugação com um estilo de vida sedentário, pode levar ao declínio de algumas capacidades físicas, como a força muscular, e ao desenvolvimento de limitações funcionais nas atividades da vida diária. Assiste-se, portanto, a um aumento do risco de queda, para o qual contribuem fortes fatores de risco como a fraqueza muscular, a falta de equilíbrio e a dificuldade de marcha.

A população idosa fragilizada apresenta grande vulnerabilidade a problemas de saúde, sendo mais suscetível a quedas e fraturas que conduzem à incapacidade, dependência, hospitalização e institucionalização.

Este projeto, promovido pela Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, propõe promover a vida independente da população idosa fragilizada, através da melhoria da cognição, capacidade de marcha e equipamento específico. Em geral, este projeto visa desenvolver iniciativas e sistemas inovadores para facilitar uma intervenção precoce no estado de saúde da população idosa fragilizada. Para este fim, será desenvolvida uma intervenção integrada e estruturada composta por um programa de estimulação cognitiva atualizado com a introdução de sessões de estimulação cognitiva baseadas em computador; um programa de atividade física estruturado, bem como um dispositivo com mecanismo de autobloqueio para andarilhos que permitirá uma atividade física integrada, estruturada e segura. O envelhecimento da população levou a um aumento da prevalência de doenças degenerativas crônicas associadas ou não ao declínio cognitivo. Com este projeto, pretende-se intervir na promoção do envelhecimento ativo, incluindo exercícios físicos e atividades que promovam o atraso e / ou a manutenção da saúde cognitiva e física de idosos frágeis.

O desenvolvimento de uma plataforma web para divulgar os resultados e recursos relacionados à intervenção permitirá que um maior número de profissionais de saúde possa aceder e usar o conhecimento produzido durante este projeto. Os materiais também estarão disponíveis através de apps de smartphones.

A implementação do programa de estimulação cognitiva enfrenta dois desafios importantes que podem ser superados com o uso da tecnologia. O primeiro desafio é realizar os exercícios de estimulação de forma prática e atraente. O segundo desafio é inserir os resultados do exercício numa plataforma que pode monitorar a evolução das pessoas idosas. Em relação ao programa de atividade física, o desafio é construir um protocolo seguro, motivador e efetivo que vise ser ajustável à condição do idoso e ao nível de fragilidade. Ao mesmo tempo, o protocolo, a ser construído por especialistas em exercício físico, deve ser fácil de seguir e ser aplicado pelos profissionais de saúde que intervêm com essa população. Se for eficaz, este protocolo pode ser utilizado pelos profissionais de saúde em geral, na melhoria das intervenções com uma componente de exercício físico.

A interatividade dos sistemas informáticos permite a criação de aplicações atraentes, como jogos, que podem motivar mais facilmente utilizadores devido à sua natureza multimédia. Para a população idosa, a oportunidade de interagir com aplicações multimédia é um sinal que os idosos têm um lugar na sociedade de informação atual, e que podem permanecer ativos enquanto envelhecem.

A aplicação multimédia a ser desenvolvida durante este projeto incluirá os exercícios do programa de estimulação cognitiva. Simplificará a implementação do programa de estimulação e melhorará sua consistência de implementação, tornando os testes cognitivos mais facilmente disponíveis e, em alguns casos, até proporcionando algum grau de autonomia para utilizadores mais idosos executarem esses testes.

Para além disso, a capacidade dos computadores para recolher dados é uma vantagem significativa num processo que envolve monitorizar a evolução das pessoas mais idosas. O software a ser implementado por este projeto permitirá que os dados sejam recolhidos dos exercícios do programa de estimulação cognitiva e física, que podem ser analisados para avaliar o estado de saúde de cada pessoa mais velha e possivelmente melhorar sua condição.

Este projeto é baseado e será testado na prática clínica real, integrando o conhecimento de diferentes áreas científicas, oferecendo um serviço e uma rede de contato. O serviço consiste numa intervenção prática que orienta os profissionais de saúde, disseminado através da plataforma, podendo ser replicada em vários centros de dia.

O projeto tem interesse económico uma vez que o produto final pode ser apresentado em exposições internacionais assegurando a transferência de conhecimento sob a forma de produto e potencial serviço, podendo contribuir para a cadeia de valor das empresas, traduzindo-se em ganhos económicos e lançamento de novos produtos.

 


Testemunho de João Apóstolo

Investigador Responsável do Projeto MIND&GAIT

    

 

O financiamento do Compete 2020 é, sem dúvida, sinónimo de mudança e crescimento nas áreas da investigação e da inovação que visam dar resposta aos inúmeros desafios relacionados com a sociedade atual.

Quando falamos do bem-estar da população, em especial daqueles que se dizem envelhecidos e fragilizados, a razão deste investimento, bem como das parcerias estabelecidas entre empresas e instituições de ensino, dos equipamentos e serviços desenvolvidos e toda a envolvência social que emerge desta Missão conjunta, geram motivação pessoal, institucional e regional.

O COMPETE 2020 é para nós, enquanto equipa multidisciplinar que somos, a ferramenta que visa um futuro adaptado às necessidades da pessoa idosa, que se depara com sérias dificuldades em acompanhar o desenvolvimento tecnológico que hoje se faz sentir. É, ainda, a ferramenta que dá oportunidade a cada uma das áreas científicas envolvidas de desenvolver a resposta mais válida e eficaz, através de um único produto e serviço, a fim de dar resposta ao grande desafio do Envelhecimento, mais precisamente à Fragilidade da Pessoa Idosa.”


Parceria

Foi planeada uma estratégia envolvendo 6 parceiros, orientada para as componentes de educação, inovação e investigação baseada na prática com transferência de conhecimento para a prática clínica. A equipa multidisciplinar inclui a Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, os Institutos Politécnicos de Coimbra, Leiria e Santarém; e duas instituições de acolhimento: Cáritas Coimbra e Santa Casa da Misericórdia de Alcobaça. O Consórcio permitirá interligar diferentes áreas disciplinares como a Enfermagem, Terapia Ocupacional, Ciência do exercício e Engenharia Mecânica e Informática, que juntas irão trabalhar na construção de serviços e produtos de valor na área da saúde. Para isso, recorrem à utilização de ICT aplicadas à Saúde e aplicações móveis, sendo estes, aspetos chave da sua originalidade.

 

Apoio

Projeto conta com o apoio do COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Apoio à Investigação Cientifica e Tecnológica, na vertente de co-promoção, envolvendo um investimento elegível de 149 mil euros o que resultou num incentivo FEDER de 126 mil euros.

30/10/2017 , Por Miguel Freitas