Notícias
Oceantech: a aposta na economia do mar

O projeto atenta a sua importância enquanto mobilizador de uma nova realidade de vanguarda: a exploração do mar profundo tendo em vista a globalização dos oceanos, rompendo com o atual paradigma e dando resposta à necessidade dos agentes económicos acederem a informação recolhida in-situ nos oceanos, destinada a agilizar processos de tomada de decisão associados às suas áreas de atuação.
 
 
1. Síntese
 
 
Em declarações ao COMPETE 2020, Luís Almeida, VP of Technology da Abyssal e Coordenador Geral do projeto OceanTech, cofinanciado pelo COMPETE 2020, comenta que “Portugal não pode alhear-se do binómio cooperação/competição associado à dinâmica de inovação e de desenvolvimento tecnológico para o mar profundo, desde logo por ser uma das nações que pretende ver a sua plataforma continental estendida.”
 
Como tal, “o fundamental apoio financeiro do COMPETE2020 ao projeto, que visa desenvolver um sistema de gestão de operações submarinas e integração de dados, assente, pela primeira vez, na utilização colaborativa de plataformas de recolha de dados distintas, integrando tecnologias disruptivas, sistemas de comunicação inovadores e uma infraestrutura de suporte tecnologicamente avançada, permite almejar atingir essa conquista, que confronta o país com enormes novos desafios e oportunidades, mas também com a incontornável responsabilidade de “ocupar” e explorar, de forma eficaz e eficiente, o enorme espaço marítimo sob a sua jurisdição.”
 
 
 
2. Sobre o projeto “OceanTech: Sistema de Gestão de Operações com base em Veículos Robóticos Inteligentes para a Exploração do Mar Global a partir de Portugal”
 
2.1 Enquadramento
 
Com o contributo de diversos copromotores, um conjunto de players de referência que desenvolvem a sua actividade no domínio dos sistemas robóticos para exploração do mar profundo, o projeto “OceanTech” foi delineado de modo a potenciar a endogeneização e a transferência de conhecimento científico e técnico entre as várias entidades, para criar novos produtos e serviços de elevado conteúdo tecnológico e inovação que contribuem decisivamente para a estratégia de crescimento das empresas envolvidas na criação de uma indústria de nova geração para exploração e monitorização do mar profundo a partir de Portugal para o mundo, tendo impactos mobilizadores ao nível de vários sectores de atividade na Economia.
 
 
2.2 Âmbito 
 
Cofinanciado pelo COMPETE 2020, num consórcio com diversas entidades, este projeto visa gerar novo conhecimento técnico-científico que permitirá desenvolver, construir e oferecer novos produtos, processos e serviços para o oceano profundo, a disponibilizar no mercado global. 
 
Os copromotores do projeto pretendem romper com o atual paradigma, assente na necessidade dos agentes económicos acederem a informação recolhida in-situ, nos oceanos, destinada a agilizar processos de tomada de decisão associados às suas áreas de atuação, assumindo conjuntamente uma mesma missão: desenvolver, testar e validar uma solução pioneira e única no mercado mundial, assente, pela primeira vez, na utilização colaborativa de plataformas de recolha de dados distintas (veículos autónomos, plataformas fixas e veículos híbridos), pretendendo com recurso a tecnologias disruptivas e sistemas de comunicação inovadores, conceber uma solução que garanta a comunicação entre as diferentes plataformas e entre estas e uma infraestrutura de suporte, e com o sistema de gestão de operações submarinas, integração de dados, tratamento e disponibilização de informação através de canais próprios. 
 
 
2.3. Resultados Esperados
 
O projeto terá uma duração de 36 meses, sendo que nele vão estar envolvidos cerca de 130 recursos especializados. Deste projeto resultarão onze novos produtos demonstrados em ambiente de operação, que no seu conjunto disponibilizarão um novo serviço que, assente na completa integração das operações marinhas e do seu controlo a partir de centros em terra, oferecerá uma nova visibilidade sobre as mesmas, disponibilizando e comercializando informação relevante para os utilizadores finais.
 
De notar que a investigação resultante deste projeto poderá ser utilizada por diversos sectores industriais (por exemplo oil&gas, aquicultura, renováveis offshore, entre outros) e o conhecimento técnico e científico que se prevê obter poderá, mais tarde, ser transferido para outros sectores (tais como, aeronáutica ou aeroespacial) potenciando avanços noutras áreas de investigação de interesse para a indústria. 
 
 
3. Apoio do COMPETE 2020
 
3.1 Sistema de Incentivos 
 
O projeto “OceanTech: Sistema de Gestão de Operações com base em Veículos Robóticos Inteligentes para a Exploração do Mar Global a partir de Portugal” conta com o cofinanciamento do COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico - Programas Mobilizadores, envolvendo um investimento elegível de 8 milhões de euros, que resultou num incentivo FEDER de 5,7 milhões de euros.
 
3.2 Consórcio
 
O OceanTech apresenta-se como um projeto mobilizador estratégico de I&D, liderado pela Abyssal S.A. e copromovido pelas seguintes entidades: 
 
TEKEVER II Autonomous Systems, Lda.
TEKEVER ASDS, Lda.
 
4. Links úteis
 
 
ABYSSAL, S.A.

23/05/2018 , Por Cátia Silva Pinto
Portugal 2020
COMPETE 2020
Europa