Notícias
Linha do Norte - Troço Braço de Prata - Alverca (Terminal da Bobadela)

Este projeto traduz-se na implementação de diversas ações de modernização, implementação de sinalização, controlo automático de velocidade e telecomunicações ferroviárias no complexo ferroviário da Bobadela. As intervenções ao longo das diversas linhas do Terminal importam numa extensão total de 10 km.

Esta operação no Terminal da Bobadela, compreende as seguintes intervenções ao longo das diversas vias do complexo ferroviário:

I. Construção de uma nova linha entre os feixes norte e sul, estabelecendo-se uma ligação em via dupla e consequente adaptação das linhas de cada um dos feixes;

II. Construção de duas novas linhas (linhas II e III) e o aumento do comprimento da linha I, otimizando o layout atual, garantindo três linhas com capacidade de receção/expedição para comboios de 750m de comprimento;

III. Instalação de sistema de proteção de pessoas e equipamentos - Retorno de Corrente de Tração, Terras e Proteção (RCT+TP);

IV. Execução de Infraestruturas de caminhos de cabos para os sistemas de sinalização, telecomunicações e RCT+TP;

V. Instalação um sistema de sinalização luminosa com agulhas motorizadas dotado de encravamentos eletrónicos e de um sistema de controlo automático de velocidade na totalidade das linhas que compõem o Terminal de Mercadorias da Bobadela, incluindo os acessos aos Terminais de carga e descarga;

VI. Instalação de sistemas de telecomunicações ferroviárias - Suportes Físicos de Transmissão, Sistemas de Alimentação, Rede de Suporte à Exploração, Supervisão Técnica de Infraestruturas, Rede Telefónica de Exploração Fixa, Videomonitorização, Sistemas de Controlo de Acessos e Telecomando de Energia.

Estas intervenções de modernização no Complexo Ferroviário da Bobadela permitem melhorar as condições de exploração e de segurança das circulações, nomeadamente criar condições para a exploração/circulação de comboios de mercadorias com 750m nos principais eixos/corredores da rede ferroviária, reduzindo o impacto destes com os comboios de passageiros e assim o consequente aumento da capacidade de circulação nas linhas gerais.

Permitirá ainda a redução de constrangimentos e uma maior agilidade na exploração do Complexo Ferroviário da Bobadela.

A concretização da operação de Modernização do Complexo Ferroviário da Bobadela traz uma clara contribuição para alguns indicadores de realização e de resultado, do COMPETE 2020, designadamente:

i) Linhas férreas reconstruídas ou modernizadas, que estejam operacionais (km) – a operação irá contribuir para este indicador, com intervenção em cerca de 10 km.

ii) Aumento da quota modal de transporte ferroviário de mercadorias (variação entre o ano pré-operação e o ano pós-operação) – a operação irá contribuir com o aumento de 175 comboios no ano 2023 e de 315 comboios/ano a partir do ano 2027.

iii) diminuição do tempo de ligação entre os principais pontos das linhas férreas intervencionadas- a operação irá permitir uma diminuição do tempo de viagem em cerca de 10 minutos no Terminal da Bobadela, devido à eliminação dos constrangimentos na exploração do Terminal e melhor aproveitamento dos canais horários disponíveis na linha do Norte.

O Terminal de Mercadorias da Bobadela integra-se na Linha do Norte, principal linha da rede ferroviária nacional que se desenvolve, longitudinalmente, em função de um grande corredor litoral - Corredor Norte-Sul – e que integra a cobertura dos principais portos, aeroportos, plataformas logísticas, capitais de distrito do litoral e das duas Áreas Metropolitanas, bem como as ligações às fronteiras Norte (Valença) e Sul (Vila Real de Santo António). A Linha do Norte desempenha um papel estruturante na rede ferroviária nacional e ao longo da qual se concentra a maior parte da população, das atividades económicas e do emprego, articulando redes de transporte e comunicação de grande capacidade que favorecem a consolidação de um sistema nacional e que asseguram a integração do país a nível ibérico e europeu.

Esta linha integra-se também no Corredor Atlântico da Rede Transeuropeia de Transportes (RTE-T), que sendo o único que abrange território nacional, está ligado a outros quatro corredores da rede principal, com vista a gerar outros potenciais efeitos de rede:

- Secção comum com o Corredor Mediterrâneo, entre Algeciras e Madrid.

- Ligação em Paris e uma secção comum entre Metz e Estrasburgo com o Corredor Mar do Norte – Mediterrâneo.

- Ligação em Mannheim com o Corredor Reno – Danúbio e com o Corredor Reno-Alpes.


 

   

Rui Miguel Belo (Engenheiro Civil) Gestor de Empreendimento na IP-Infraestruturas de Portugal, S.A.

"A aposta do programa COMPETE 2020 numa intervenção estratégica ao nível das mudanças estruturais que promovam uma maior eficiência, competitividade e sustentabilidade dos serviços públicos de transporte de mercadorias será decisiva para a consecução deste projeto de modernização do sistema ferroviário português e melhoria da sua interoperabilidade.

As intervenções de modernização do Complexo Ferroviário da Bobadela, permitem melhorar as condições de exploração e de segurança das circulações, tendo presente os objetivos estratégicos definidos, nomeadamente criar condições para a circulação de comboios de mercadorias com 750m nos principais eixos da rede ferroviária, reduzindo o impacto destes com os comboios de passageiros e assim o consequente aumento da capacidade de circulação nas linhas gerais e a redução de constrangimentos.

O projeto “Linha do Norte - Troço Braço de Prata - Alverca (Terminal da Bobadela)” irá contribuir para o aumento da quota modal do transporte ferroviário através das plataformas logísticas que possibilitam a concentração de cargas, permitindo aumentar a competitividade das empresas portuguesas e o reforço da sua orientação exportadora através da redução dos custos do transporte de mercadorias.

Ao apostar num sistema mais eficiente e sustentável de transporte, estamos igualmente a promover a melhoria do nosso sistema ferroviário, bem como a intermodalidade e a conetividade com a Europa e com o resto do mundo."


Apoio COMPETE 2020

Trata-se de um projeto promovido pela Infraestruturas de Portugal e cofinanciado pelo COMPETE 2020, no âmbito do Eixo Prioritário IV, ao abrigo do Aviso 04/RAIT/2016, envolvendo um investimento elegível de 13 milhões de euros o que resultou num incentivo FEDER de cerca de 11 milhões de euros.

01/06/2018 , Por Miguel Freitas
Portugal 2020
COMPETE 2020
Europa