Riopele aposta na sustentabilidade ambiental

Através do projeto R4Textiles, cofinanciado pelo COMPETE 2020, e que visa desenvolver têxteis sustentáveis - reutilizados e funcionais - com base na valorização de rejeitados têxteis e agroalimentares de forma a pôr em prática o novo paradigma da economia circular.

 

Enquadramento

Tradição e Inovação são duas palavras-chave para a Riopele. Com uma longa história e com um saber-fazer único, a empresa tem levado a cabo um intenso trabalho de pesquisa de tendências e de comportamentos, investindo fortemente em Investigação & Desenvolvimento. 

A Riopele pretende capitalizar as oportunidades associadas à economia verde (também designada por "economia circular") e contribuir ativamente para o seu crescimento. A indústria têxtil, tal como a generalidade das outras indústrias, ainda segue o padrão tradicional do crescimento baseado no "extrair - fabricar - consumir - deitar fora" ("take-make-consume-dispose").

Contudo, sabe-se hoje que este conceito é insustentável. Os recursos do planeta são finitos. Isto significa que é necessário avançar para um novo paradigma: a "economia circular" que permite o crescimento económico ao mesmo tempo que otimiza o consumo dos recursos naturais, transformando profundamente as cadeias de valor e os padrões de consumo e redesenhando os sistemas industriais. 

A economia circular é renovadora e regenerativa por definição, considerando o potencial de revalorização ao longo de toda a cadeia de valor e mesmo entre cadeias de valor, e fechando o circuito dos recursos em todas as atividades económicas. A economia circular vai para além da prevenção e redução da geração de resíduos, procurando também inspirar a inovação tecnológica, organizacional e social em toda a cadeia de valor no sentido de eliminar a potencial formação de resíduos desde o início, isto é, logo na fase de projeto e design dos produtos, em vez de contar apenas com a reciclagem no fim da cadeia de valor. 

Ora, este é precisamente o quadro em que se insere o projeto de I&D R4Textiles.

 

Síntese

O projeto R4Textiles tem como objetivo desenvolver têxteis sustentáveis - reutilizados e funcionais - com base na valorização de resíduos têxteis e agroalimentares, inserindo-se no novo paradigma da "economia circular".  É conhecido o potencial de valorização dos subprodutos resultantes do processamento têxtil em processos de tecelagem, para integração em novas estruturas têxteis, embora este não esteja ainda explorado. No que se refere aos resíduos agroalimentares, existe trabalho desenvolvido na extração de ingredientes funcionais, com aplicações na alimentação, cosmética e biomédica. Tais resíduos, ricos em proteínas e polissacarídeos, são provenientes das indústrias de cárneos e cervejeira, respetivamente, apresentando um enorme potencial de valorização no acabamento têxtil, pelas suas propriedades intrínsecas (atividade antimicrobiana, prebiótica, antioxidante, entre outras).

Num contexto atual de consciencialização ambiental, a RIOPELE pretende apostar numa estratégia de investigação que conduza à adoção de políticas sustentáveis, de redução do impacto ambiental, assente na valorização dos resíduos têxteis (iniciando com os gerados na sua unidade), e de subprodutos de indústrias agroalimentares próximas geograficamente. Quer no caso dos resíduos têxteis, quer no dos resíduos agroalimentares, existem desafios na investigação, ao nível do processamento e da sua aplicabilidade na produção de novas estruturas têxteis.

É neste contexto que surge o projeto R4Textiles, cujos principais objetivos são:

  • Design e construção de novas peças/estruturas têxteis com base em resíduos têxteis - fios, telas e tecidos, com ou sem processamento prévio, para eliminação de elastano.
  • Produção de tecidos funcionais inovadores com incorporação de ingredientes extraídos de resíduos agroalimentares, para obtenção da funcionalidade de neutralização de odores, e outras propriedades valorizáveis no acabamento têxtil (antimicrobiano, prebiótico, antioxidante, anti-estático, toque melhorado).

 

Apoio do COMPETE 2020

Promovido pela Riopele, o projeto R4Textiles é cofinanciado pelo COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Incentivos à I&DT e envolve um investimento elegível de cerca de 978 mil euros, a que corresponde um incentivo FEDER de 602 mil euros.

 

Parceiros

A RIOPELE tem estabelecido parcerias com centros de investigação, com universidades e outras organizações do Sistema Científico e Tecnológico Nacional (SCTN), pois considera que o fomento da investigação/inovação e da melhoria contínua constituísse numa fonte geradora de vantagens competitivas.

Eis as entidades do SCTN envolvidas neste projeto:

> Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes (CeNTI)

> Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal (CITEVE) 

> Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa (ESB)

 

Breve histórico da Riopele

A Riopele centra a sua atividade na criação e na produção de coleções de tecido de valor acrescentado para vestuário. Orientada para a satisfação atempada das necessidades dos clientes, esta empresa tem como principais elementos distintivos a inovação, a qualidade e a fiabilidade.

Localizada em Pousada de Saramagos, no concelho de Vila Nova de Famalicão, a Riopele é uma das mais antigas e conceituadas empresas da indústria têxtil portuguesa, que completa 90 anos em 2017. De pequena empresa familiar, a empresa evoluiu para uma organização em grande escala, integrando verticalmente as áreas da fiação, da tecelagem, da tinturaria e dos acabamentos.

Hoje, constitui uma das empresas portuguesas de referência no sector têxtil e uma das grandes exportadoras nacionais. A Riopele opera em todo o mundo através de uma vasta rede de agentes que lhe permite exportar cerca de 98% da sua produção de tecidos de moda para vestuário.

Marcado por uma grande determinação na prossecução dos seus objetivos de crescimento e de responsabilidade social, o percurso da Riopele está associado ao da família Oliveira, a quem sempre pertenceu o controlo exclusivo da empresa. A atual administração é presidida por José Alexandre de Oliveira, neto do fundador.

 

Links

Riopele

•    Website http://www.riopele.pt/

•    Facebook https://www.facebook.com/RIOPELE

•    Twitter https://twitter.com/riopele

•    Instagram https://www.instagram.com/riopele_insta/

•    Youtube https://www.youtube.com/channel/UCf2JdtmzlEc2fVVTXdXe2Nw

CeNTI

•    Website http://www.centi.pt/

CITEVE

•    Website http://www.citeve.pt/

•    Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa 

Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa 

•    Website http://www.esb.ucp.pt/

10/01/2017 , Por Cátia Silva Pinto
Portugal 2020
COMPETE 2020