Tété: um bom exemplo de empreendedorismo e de sucessão familiar bem conseguida

No âmbito da iniciativa COMPETE 2020: ao lado de quem cria valor, conheça o percurso da Tété que, segundo as palavras do presidente do COMPETE 2020, Rui Vinhas da Silva, “é uma pequena empresa familiar cujos destinos são conduzidos por uma nova geração de empresários dinâmicos que apostam na inovação e na qualidade de processos e produtos para de forma consistente apresentarem produtos apetecidos em mercados fortemente concorrenciados.” Rui Vinhas da Silva adianta “o mercado de exportação é cada vez mais o objetivo estratégico da Queijos Tété que demonstra no seu modelo de negócios uma forte apetência pelos mercados internacionais que aborda com a sua marca própria.” “Um bom exemplo de empreendedorismo e de sucessão familiar bem conseguida”, conclui o presidente do COMPETE 2020.

Resumo da empresa

A Tété é uma empresa nacional de lacticínios que, desde a sua fundação, há mais de cinquenta anos, sempre soube colocar no processo de produção dos seus produtos as medidas exatas de tradição e inovação.

  • 1960 | Pela mão da primeira geração, a família Amaro inicia a produção de queijos frescos. Uma produção pequena e tradicional, inicialmente para fazer escoar o leite da sua pequena exploração de vacas leiteiras. 
  • 1976 | Os conhecimentos até aí adquiridos são passados à segunda geração da família. 
  • 1985 | A Tété inicia uma produção mais industrializada, diversificando, também por essa via, a oferta de queijos. 
  • 1998 | Inicia a produção de requeijão e de queijos curados. Com um investimento superior a dois milhões de euros, a Tété inaugura as suas atuais instalações, dotadas de um laboratório, para garantir um acompanhamento contínuo e mais rigoroso ao processo de fabrico; e de uma E.T.A.R., visando a diminuição do impacto ambiental provocado pela produção de lacticínios. 
  • 2002 | Introduz o requeijão com alho e ervas aromáticas; o requeijão com doce de abóbora; e o requeijão de mistura de vaca e ovelha. 
  • 2008 | Inicia a produção de queijo fresco de cabra. 
  • 2010 | A empresa passa a ser administrada pela terceira geração da família Amaro. 
  • 2013 | Inicia a produção de manteigas de cabra, ovelha e vaca, e de queijo fresco de ovelha.

. Curiosidades: O concurso Queijos de Portugal, organizado pela ANIL (Associação Nacional dos Industriais de Lacticínios), distinguiu o requeijão de vaca, o requeijão de cabra e o requeijão de mistura da Tété como os melhores de 2015, nas categorias respectivas. A empresa obteve, ainda, uma menção honrosa no queijo fresco de cabra, ficando este entre os três melhores daquele segmento de produto.

Iniciativa COMPETE 2020: ao lado de quem cria valor

No âmbito da iniciativa "COMPETE 2020: ao lado de quem cria valor", o presidente do COMPETE 2020, Rui Vinhas da Silva, começou a sua visita ao setor agroalimentar no dia 14 de março, envolvendo 16 empresas de um setor estratégico para o país: a indústria agroalimentar. O sector agroalimentar apresenta uma grande dispersão e pulverização empresarial, mas tem apresentado uma capacidade de inovar e de incorporar valor nos seus produtos que se reflete no peso das suas exportações e no fôlego de novas ideias e novas empresas.

Este setor apresenta uma complexa cadeia de valor: empresas diferentes, em mercados diferentes e para diferentes consumidores. O setor agroalimentar inclui o conjunto de atividades relacionadas com a transformação de matérias-primas em bens alimentares ou bebidas e a sua disponibilização ao consumidor final, abrangendo atividades tão distintas como a agricultura, a silvicultura, a indústria de alimentos e bebidas e a distribuição. É um setor altamente competitivo, onde o efeito escala é importante, o que se comprova pela existência de algumas e conhecidas grandes multinacionais na área, apesar de as empresas de menor dimensão serem predominantes.

O roteiro da visita procurou ser o mais abrangente possível abarcando a riqueza do setor e analisando as vantagens competitivas de cada empresa Segundo dados do INE (2014), este setor contribuiu para a economia nacional com um volume de negócios de 14,8 mil milhões de euros, e um VAB de 2,7 mil milhões. É a segunda indústria que mais emprega em Portugal, com mais de 100 mil postos de trabalho diretos e cerca de 500 mil indiretos. Tem registado nos últimos 5 anos uma taxa de crescimento de exportações superiores às importações e é fundamental para afirmar a nossa autossuficiência alimentar e garantir a sustentabilidade do consumo nacional.

Esta visita contou com a estreita colaboração da Portugal Foods, associação formada por empresas, por entidades do sistema científico e tecnológico nacional e por entidades regionais e nacionais que representam os vários subsetores que compõem o setor agroalimentar português.

Links

•    Roteiro | COMPETE 2020 ao lado de quem cria valor | Agroalimentar | Vol. III http://bit.ly/1P3mDcs •    Website http://www.tete.pt/ •    Facebook https://www.facebook.com/queijostete?fref=ts •    Pinterest https://www.pinterest.com/queijostete/pins/ •    Portugal Foods | Website PT http://www.portugalfoods.org/ •    PortugalFoodsTV http://portugalfoods.tv/

17/03/2016 , Por Cátia Silva Pinto
Portugal 2020
COMPETE 2020
União Europeia
Presidente do COMPETE 2020
FEEI
Rui Vinhas da Silva
COMPETE 2020: ao lado de quem cria valor
Agroalimentar